crato_sicN_14nov2013
Nuno Crato está satisfeito: 325 milhões de euros em poupanças com cortes salariais é obra. A obra de um ministro que não se importa nada de cortar nos salários, nem de mandar professores para o desemprego e outros para a pobreza para poupar. Poupar numa área fundamental de investimento para qualquer Estado como é a Educação. E como se não fosse sobejamente insuportável ouvi-lo a conversar com Mário Crespo, em rodapé lê-se uma gralha (saláriais é uma gralha não é?), e também que o Mosteiro de Alcobaça vai ser um hotel (!).

Anúncios